O que fazer em SP

Costumo dizer que São Paulo é a minha terceira casa, terceira porque sou de Ribeirão Preto-SP, a primeira, mas também do mundo, a segunda. Foi aqui que construí parte da minha vida, principalmente a profissional, e foi onde encontrei pessoas maravilhosas. Como casa, ainda temos algumas coisas para ajustar, mas isso não impede que um visitante possa aproveitar a melhor parte dela, um ambiente multicultural e eclético.

Você pode encontrar por aqui vários sotaques do Brasil e do mundo e não só o modo característico de falar de cada um, mas a culinária, os costumes e tradições. Certamente é possível encontrar um pólo de cultura nordestina, como no Centro de Tradições Nordestinas (CTN) na Zona Norte da capital. Ou parte da essência das tradições asiáticas, mais puxada para a cultura japonesa, no bairro da Liberdade.

Mas vale também apreciar a arquitetura, que misturou o antigo com o novo, de prédios clássicos dos centro da cidade e que evidenciam a fundação do município, passando por construções icônicas como Copam, até os mais modernos conceitos construtivos como o do edifício Rochaverá, na Zona Sul.

Vista da Ponte: cartão postal de São Paulo

Para quem gosta de sair com os amigos, os bairros da Vila Madalena e Pinheiros se tornaram referência para bares e restaurantes. Há locais de concentração desses estabelecimentos também em bairros como o Tatuapé, na zona leste, a Santa Cecília, região central, e Santana, na Zona Norte.

É muito mais que isso. Há diversas opções culturais, em museus, teatros, shows. Difícil é encontrar tempo para aproveitar tudo que há para fazer por aqui.

Opções para um roteiro de fim de semana

Se você quer passar um fim de semana em São Paulo, pode seguir essas dicas de pontos para montar um roteiro simples. Se você é um expert na cidade, aproveite para deixar um comentário com ideias complementares do que fazer por aqui.

Ibirapuera em um fim de tarde
  1. Centro Histórico: vale um passeio pelas ruas centrais, partindo do Largo do São Francisco. Passe pela praça da Sé, Catedral, Ibovespa, Farol Santander, Mosteiro São Bento, 25 de março e Mercadão. Neste último, a pedida é o tradicional lanche de mortadela cm direito a um chope, do Hocca Bar.
  2. República: o entorno do praça tem trações interessantes, como a Galeria do Rock, o Teatro Municipal e o Viaduto do Chá. Perto você vê o prédio da prefeitura de SP, que fica iluminado na parte da noite. Também é próximo do cruzamento famoso pela música de Caetano – esquinas da Av Ipiranga com São João. Se quer comprar eletrônicos, a Sta Efigênia é uma boa opção.
  3. Pinheiros/Vila Madalena: Você precisa conhecer o beco do Batman, com ruas com verdadeiras obras de arte. Os muros viraram telas e as cenas são tomadas por grafites deslumbrantes. Você pode aproveitar para ver o pôr do sol na Praça com o mesmo nome e de quebra aproveitar o fim do dia em uma hamburgueria ou barzinho com mesas na calçada.
  4. Parques: há uma quantidade grande de opções. Você pode escolher o Ibirapuera, que tem ótimas opções de lazer, ou mesmo o Villa Lobos ou o Parque do Povo, que ficam na marginal Pinheiros. Quer conhecer um modelo de paisagismo assinado por um mestre do assunto? Recomendo um passeio pelo Parque Burle Marx, que leva o nome do artista.
  5. Paulista: mais tradicional impossível, já foi o coração financeiro do país, fica fechada para carros aos domingos. Boa opção para caminhar, corrida ou bicicleta. Há várias atrações por toda extensão, como feiras de artesanato, apresentação de músicos amadores. É onde você encontra o MASP e o Conjunto Nacional. Neste vale um passeio pela Livraria Cultura e uma parada em alguma cafeteria. Há um novo skyline, que permite uma vista da avenida – Mirante SESC Paulista.
  6. Augusta: opção para a tarde e para noite, vários restaurantes e algumas baladas. É uma rua de subida (quando você vem do Jardins) e descida (sentido centro) pode exigir mais esforço físico.
  7. Oscar Freire: é a rua que representa o Soho de Nova Iorque. Grifes mais famosas e até mesmo lojas conceitos, como a da Riachuelo, dividem as calçadas. Tem opções para um bom café.
  8. Shoppings: aqui não faltam opções, desde o mais democrático e popular ao sofisticado. Se você for ao Parque do Povo, aproveite para estacionar no JK Iguatemi (se estiver de carro) e já garanta um passeio pelos corredores de lojas de luxo. O Iguatemi (Faria Lima) tem se reinventado e continua como referência de luxo. Cidade Jardim, ruim de acesso, tem conceito de “jardim” e também atrai um público disposto a gastar. O Morumbi, vira opção intermediária com boas lojas – dica é visitar a megastore da Cacau Show, com opções de cafeteria e diversos chocolates.

Onde ficar: escolha locais próximos ao metrô. Pelo proximidade e facilidade de deslocamento, Pinheiros é uma região muito desejada. Se quer gastar menos, locais mais afastados do Centro são mais em conta. Cuidado para não ficar em áreas muito afastadas.

Mobilidade: transporte público se você for para região central da cidade ou Paulista. Para esses pontos, o metrô funciona bem. Há trens que chegam em áreas como a marginal Pinheiros (linha Esmeralda) e que te conecta com os dois parques Villa Lobos e Parque do Povo, ou mesmo ao JK Iguatemi. No restante, caminhada e/ou carro são indicados. Uber e táxi em dia de chuva são difíceis de encontrar. Atenção: prepare-se para um congestionamento a qualquer hora do dia.

Alimentação: desde opções de restaurantes com assinatura de chefs renomados a o tradicional PF. Sinta-se livre para experimentar e ousar nas escolhas, mas na dúvida, vá de redes conhecidas em todo o Brasil.

Aprecie São Paulo sem moderação!